Lanternas


Guia o caminho adiante
Adianta a rota da chegada
Iluminai!
O tempo do breu
O vazio do espaço
Farol do tempo

Clareia as ideias turvas
Preencha os pontos cegos
Iluminai!
O nublado pensar
O constante negar
Lampião do pensar

Transpareça luz interior
Refletindo sua imagem
Iluminai!
O saber escondido
O querer contido
Candeeiro do saber

(GeraldoCunha/2018)

Anúncios

Divagação 79

Alguns dizem: -a culpa é das estrelas…
Eu digo: – a culpa é do destino que nos fez ver estrelas em céus distantes…

(GeraldoCunha/2018)

Chuva na vidraça


Chove há horas!
Aqui dentro
Não se ouve buzinas,
Não se ouve pássaros.
Dia e noite se cunfundem,
Todos recolhidos e acolhidos.
O relógio não desperta.
Tudo é quase silêncio,
Interrompido pelo som relaxante
Da chuva que ecoa lá fora.

Chove lá fora!
Aqui dentro
Não se sabe do tempo,
Não se sabe do vento.
O quarto esconde na penumbra,
A cama ainda desarrumada.
Entre lençóis amassados,
Corpos se tocam braçados,
Respirando em compasso,
Ao som das gotas na vidraça.

(GeraldoCunha/2018)

Vacilo de amor


Vacilo de amor

Abri a porta para que entrasse,
Não entrou, nem da soleira se aproximou.
Lá de longe só observou,
Titubeou, vacilou.
Não foi!
Era para ser?
Não sei Eu.
Não sei Você.

Tinha puxada a cadeira para que se sentasse,
Não se sentou, nem o umbral atravessou.
A varanda escureceu!
Não insisti, desistiu.
Não foi!
Era para ser?
Não tentei Eu.
Não tentou Você.

E na soleira descansa um tapete de boas vindas.

(GeraldoCunha/2018)

Dor suprema

Roupa que sufoca
Rasgada junto ao corpo
Arranhadas unhas em carne
Amargura sem pudor

Móveis arrastados
Peso que não suporta
Costas em autoflagelo
Suplício sem amor

Copos quebrados
Coração que despedaça
Estilhaço que perfura
Espera sem chegada

Pratos atirados
Parede que escorre
Vermelho que sangra
Partida sem largada

(GeraldoCunha/2018)

Atrevo quatro folhas

Ando pouco inspirado
Por isto suspiro
Por isto respiro
Por isto aspiro
Por isto piro
Giro rodas

Motivação não vem
Por isto bravejo
Por isto escrevo
Por isto atrevo
Por isto trevo
Quatro folhas

Sorte me alcança
Por isto esperança
Por isto confiança
Por isto aliança
Caso palavras

(GeraldoCunha/2018)

Foi-se assim

Foi-se percebendo,
Não se entendia.
Nos encontros tão esperados,
A conversa não era a mesma,
Os diálogos foram-se…
Ficando cada vez esparsos!
Já não nos falávamos tanto
E quando falávamos …
Parecia compromisso agendado.
De conversas intermináveis ao telefone,
Foi-se restando intervalos…
De silêncios constrangedores!
As frases não se completavam,
As piadas não se compreendiam,
Os compromissos desmarcados,
E foi-se assim…
Aos poucos indo-se embora!
Até nunca mais sermos vistos.

(GeraldoCunha/2018)