Série poema curto – Abraços


Já não tinha os abraços,
Então não me faltaram.
Permaneço de braços abertos,
Para o tempo certo,
Que o momento agora é de espera.
(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto- Desistir


É perder
Se não encontra outra solução
É recuar
Quando o que está à frente apavora
É repensar
Se vale a pena ir adiante
É ponderar
Se o melhor é abrir mão daquilo que te sufoca
É seguir
Se embrenhando por outros caminhos
É morrer
Para tornar a viver

(GeraldoCunha/2020)

Palavras


Escreva
As
Palavras
E
Rasgue

Não rasgue
S E R E N I D A D E
Nem
Embole
E
Jogue
Na
Lixeira

(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto – Passos


Os meses passam…
E eu lentamente.
Lenta a mente!
E os passos?
Passo a passo…
Lentos nos dias.
E os dias?
Largos nos passos!
Os dias passam…
E eu não passo.
Preso na horas.
Conto os segundos…
Segundos passam.
A passos lentos!

(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto: Coração

Não marque hora

É só chegar.

Não mande aviso.

Nem pense em recado!

Deixe de lado o recato.

O meu coração,

Gosta de surpresas,

Desgosta que bata à porta,

Prefere que venha invadindo.

(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto- Exigências


Não exija de mim,
Uma serenidade,
Que você não tem.
Uma paciência,
Que você não cultiva.
Uma atitude,
Que você deseja.
Um desejo,
Que é só teu.

(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto: saudade é para o além


Quero ser saudade para só depois da morte.
Não me enterre vivo dizendo da saudade se estou aqui.
Saudade é não poder tocar
E ter de se contentar em abraçar uma fotografia.
Chore saudade somente sobre minha lápide fria.

(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto: Cru


Cruel escárnio
Cruz cravada
Cru azedume
Cruento!

Punhal sangrando
Punho armado
Pus abscesso
Purulento!

Ferida aberta
Fera acuada
Fé aclamada
Firmeza!

(GeraldoCunha/2020)

Série Poema Curto: Virtual


Sou eu
Este ser
Virtual
Não existo
No real
Sou outro
Invisível
Eu existo
Um ser
Digital

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Processo


Em processo de introspecção
As palavras se acovardam
Os pensamentos se engavetam
E lá fora está chovendo
Sinto o cheiro da enxurrada
Carregando os restos

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Acho


Não acho mais nada.
De tanto achar, me perdi!
De tanto tentar compreender, desaprendi!
De tanto querer explicar, me confundi!

Não quero mais dar opinião.
Meu palpite é pro jogo do bicho!
Minha sugestão é um bom vinho!
Minha insatisfação eu jogo no lixo!

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Selfie

De tanto só tirar selfie
Eu me apaixonei por mim
O tanto quanto esqueci de quem estava ali
Eu me desocupei dos lugares
Até do abismo em que fui cair
Eu me deixei levar pela necessidade
Por quem nem estava por ali
Eu não me aproveitei do momento
Preocupado com melhor filtro a inserir

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Poeta triste


O poeta está triste,
Perdeu sua inspiração.
E qual poeta não é triste?
Amargurado por lembranças…escreve!
Arrebatado por paixões…declama!
Tomado de amores…sofre por prazer!
O poeta está triste,
E acredita que perdeu a inspiração.

Série Poema Curto: Orvalho


O orvalho na folha
Molha a nuca
Provoca desejos
Arrepio na pele

O orvalho que cai
Úmido na face
Escorre na pele
Molha os lábios
Que se tocam

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Alma inquieta


Sou alma inquieta
Presa nestas carnes
A ponto de implodir
Sufocando os versos
Engolindo a saliva
Secando o grito
Nesta inquietude
(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Saudade volta


Levaram minha saudade embora.
Deixaram um coração vazio.
Foi o que me restou.
O que me restou.
Me restou.
Restou.
Foi!

Saudade volta para este coração.

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Eu vim aqui para confundir


estou também no Instagram @divagacoesgcc.geraldocunha

Eu não vim aqui para explicar,
Se parece que estou fazendo tudo igual…
Não se engane!
O meu igual é sempre diferente.
Não se assuste!
O bom é subverter a ordem,
Parecendo ser óbvio,
Mas não ser.
Cuidado!
As palavras mudam de lugar,
Mas o seu significado não!
Eu vim aqui para confundir.

*inspiração Chacrinha

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema Curto: Fagulha


Somos fagulha
Às vezes queimamos por nada,
Outras vezes somos brasa para aquecer.
No momento em que o coração fica mais triste,
Mesmo sabendo da chegada e da partida,
Percebemos que somos um sopro.

(GeraldoCunha/2019)

Poema preciso


Poema não precisa ser complicado.
Poema precisa substituir as mãos no toque que falta.

Poema não precisa ser rebuscado.
Poema precisa substituir os braços do abraço que não acolhe.

Poema não precisa ser rimado.
Poema precisa substituir o silêncio da palavra não dita.

Poema não precisa ser preciso.
Poema precisa substituir o concreto por metáforas.

(GeraldoCunha/2019)

Série Poema curto: Sob o fogo cruzado


Para tudo há dois lados
E o meio!
Sob fogo cruzado.
Para tudo há o certo e o errado
E o talvez!
Na corda bamba.
Para tudo há o bem e o mal
E o mais ou menos!
Cruzando o alvo.
Para tudo há o bom e o mau
E o mediano!
Sem pressão.

(GeraldoCunha/2019)