Virtual (Poema Curto)


Sou eu
Este ser
Virtual
Não existo
No real
Sou outro
Invisível
Eu existo
Um ser
Digital

(GeraldoCunha/2019)

Processo (Poema Curto)


Em processo de introspecção
As palavras se acovardam
Os pensamentos se engavetam
E lá fora está chovendo
Sinto o cheiro da enxurrada
Carregando os restos

(GeraldoCunha/2019)

Acho (Poema curto)


Não acho mais nada.
De tanto achar, me perdi!
De tanto tentar compreender, desaprendi!
De tanto querer explicar, me confundi!

Não quero mais dar opinião.
Meu palpite é pro jogo do bicho!
Minha sugestão é um bom vinho!
Minha insatisfação eu jogo no lixo!

(GeraldoCunha/2019)

Selfie (Poema Curto)

De tanto só tirar selfie
Eu me apaixonei por mim
O tanto quanto esqueci de quem estava ali
Eu me desocupei dos lugares
Até do abismo em que fui cair
Eu me deixei levar pela necessidade
Por quem nem estava por ali
Eu não me aproveitei do momento
Preocupado com melhor filtro a inserir

(GeraldoCunha/2019)

Poeta triste (Poema curto)


O poeta está triste,
Perdeu sua inspiração.
E qual poeta não é triste?
Amargurado por lembranças…escreve!
Arrebatado por paixões…declama!
Tomado de amores…sofre por prazer!
O poeta está triste,
E acredita que perdeu a inspiração.

Orvalho (Poema Curto)


O orvalho na folha
Molha a nuca
Provoca desejos
Arrepio na pele

O orvalho que cai
Úmido na face
Escorre na pele
Molha os lábios
Que se tocam

(GeraldoCunha/2019)

Alma inquieta (Poema curto)


Sou alma inquieta
Presa nestas carnes
A ponto de implodir
Sufocando os versos
Engolindo a saliva
Secando o grito
Nesta inquietude
(GeraldoCunha/2019)