Divagação 83


Por onde passo querem curar minhas dores medicando, aplicando terapias, indicando mantras, fazendo orações, quando o que é preciso é só um abraço sincero e um ombro amigo.

(GeraldoCunha/2020)

Divagação 82


Queria apagar todas as poesias.
Mas não se apaga o passado.
Nem o desejo de um futuro melhor.
É só um desalento poético do presente.

(GeraldoCunha/2020)

Divagação 81


Não deixe que o silêncio e a indiferença do outro diante das suas escolhas te defina.
Se foi capaz de fazer escolhas é capaz de minar a indiferença dos outros com seu sucesso pessoal.

Dar tempo ao tempo


(Estou também no Instagram @divagacoesgcc.geraldocunha)

Hoje vou dar um tempo ao tempo
D E S L I G A R E I:
O relógio para não despertar;
O telefone para não incomodar;
A televisão para não clarear.
F E C H A R E I:
A cortina para o sol não entrar;
As caixas da mente para não pensar;
O caderno para não criar.
D E I X A R E I :
O tempo descansar …
Dos ponteiros;
Dos clarões;
Do poeta.

(GeraldoCunha/2020)

Divagação 80

Meus olhos enxergam
Mais do que a mente pode alcançar,
Tropeço nas sombras dos rancores.
Prefiro andar de olhos fechados!

(GeraldoCunha/2019)

Divagação 78

Quando aprendi a estar só, entendi o que é estar sozinho, me acostumei com a solidão e compreendi que nela pode haver felicidade, aconchego e sossego.

(GeraldoCunha/2018)

Divagação 77

Entre o certo e o errado há um infinito de possiblidades, na dúvida fique sempre no meio.