Estação partida


Sempre estou pronto para partir.
Não que eu queira ir!
É que não tenho razão para ficar.
As pessoas são estranhas neste lugar.
Falam uma linguagem que não sei decifrar.
E os ouvidos são incapazes de me alcançar.
Dizem que é por ter escolhido a solidão,
Mas se enganam.
Foi a solidāo quem me escolheu!
Não dá para dizer que foi uma opção.
Enquanto espero nesta estação,
Vou observando os que chegam,
E me despedindo dos que antes partem.
Convivendo como posso com os passantes,
Ignorando como devo os que entediam.
Só observando!
Só esperando!
Só esperançando…
Tendo sempre a solidão como companheira,
Mas de quem por tantas vezes quis me divorciar.
E não me julguem!
Sempre procurei um jeito de reconciliar.
Sai perambulando e sem me encontrar,
Voltei para o mesmo lugar,
Sentei na mala e estou a esperar
A hora definitiva de embarcar,
Não que eu queira partir!
É que não pertenço a este lugar!
Fico pensando que é melhor eu voltar,
Mas não sei em qual trem embarcar.
Abraço a companheira e espero.

(GeraldoCunha/2019)

(inspiração: A música Encontros e despedidas de Milton Nascimento e Fernando Brant)

Anúncios

Poema aos Pais


(Não é usual eu fazer poemas de datas comemorativas, mas meu coração pediu e a ele não sei dizer não)

Ah, Pai.
Este olhar de preocupação…Eu sei!
Quando se recebe uma encomenda especial que não vem com manual de instrução:
É carinho, cuidado…proteção.

Ah, Pai.
Este semblante calmo…Eu sei!
Quando quer apresentar o mundo aos poucos, mas como é:
É disfarce para as tristezas que, inevitáveis, virão.

Ah, Pai.
Este sorriso desconfiado…Eu sei!
Quando a alternativa é deixar partir:
É resistência em entregar ao mundo quem tanto protegeu.

Ah, Pai.
Este ar de satisfação…Eu sei!
Quando olha para a frente e vê quem construiu:
É certeza de dever cumprido, medida exata da felicidade.

Parabéns àquele que verdadeiramente honra ser chamado: Pai, Papai, Paizinho, Papito, Painho…Eu sei!
Conheço muitos.

(Homenagem póstuma ao meu Pai)

Mãos de afeto


Toque suave nos cabelos
Negros fios a tocar a pele
Seda a escorrer entre os dedos
Cuidado nos prazeres

Mãos de afeto a deslizarem
Envolvendo de amor a face
Calor perfumado que protege
Percorrendo os sentidos

Toque preciso das mãos
Envolvendo a massa
Adoçando os paladares
Servindo aos sabores

Mãos tocadas em oração
Professando a fé
Suplicando uma graça
Agradecendo por devoção

(GeraldoCunha/2019)

Reflexo


Gosto desta imagem aí do espelho.
Jovem! brincando com suas rugas.
Vaidosa! se escondendo dos cabelos brancos.
Atrevida! meio a caras e bocas.
Dissimulada! escondendo partes.
Envergonhada! disfarçando os medos.

Este reflexo que observa
E no silêncio, mudo diz tanto do que reflete.
Este reflexo que se observa
Não pela perspectiva do outro,
Mas do que propriamente construiu.

Gosto deste reflexo aí do espelho.
Revelador das cicatrizes disfarçadas.
Desnudo das inibições cotidianas.
Observador nos detalhes mínimos.
Honesto na medida exata.
Denunciador mesmo do tempo.

Esta imagem às vezes distorcida.
São os percalços da vida…inevitáveis.
Esta imagem às vezes embaçada.
São as angústias da alma…inquietudes.
Este Eu que se esconde e se mostra!

(GeraldoCunha/2019)

Meu olhar


(Em dezembro/2016 publiquei IMPURO E VIRTUOSO)///…
Se olho para trás é para aprender com meus erros e me alegrar pelos meus acertos,
Meu trunfo é esta história que escrevi,
Com tantos rabiscos, páginas rasuradas e reticências.
Em meu olhar o reflexo de quem sou!

Se olho para o lado é para saber com quem ando e escolher a quem dar a mão.
Meu maior orgulho é ter feito escolhas certas entre tantos equívocos,
Sem que nunca me tivesse faltado uma palavra de apoio.
Em meu olhar o espelho das minhas escolhas!

Se olho para a frente é para não perder o foco e ter um motivo para não querer voltar.
Não dá para insistir em voltar as páginas da vida,
Pois quando uma mão se perde no caminho outra logo se estende.
Em meu olhar a imagem do que construí!

(GeraldoCunha/2018)

Prece ao desalento


(gsotou? veja Réstia de luz)///.
Ao espaço
Para o desalento
Digo que está tudo bem
E tento firme acreditar
Persisto na esperança
Não desisto do sonho
Destruído…
Construo outro

Ao tempo
Da espera
Vou dormir quase sem forças
Para tê-las no dia seguinte
Acordar e não se lembrar
Que fraquejei
E recomeçar…
Perseverando

Ao momento
De reflexão
Penso em não seguir
Se não tenho rumo certo
É perambular
Caminhar até cansar
E não conformado…
Voltar a trilhar

(GeraldoCunha/2018)

The Entertainer Blogger Award e The Versatile Blogger Award 


Como as regras são basicamente as mesmas, resolvi responder em conjunto.

Aproveito para comemorar o fato de ter alcançado 1.000 seguidores este mês, o que me deixa imensamente feliz e motivado a escrever mais e mais.

Este mês meu blog foi novamente indicado por três pessoas amigas para os prêmios The Entertainer Blogger Award e The Versatile Blogger, por:
https://discretamente.wordpress.com/ – Dulce Delgado, de quem sou profundo admirador dos textos, sempre criativos, inteligentes e bem humorados para tratar de assuntos muitas vezes delicados;
https://poesiaemfotografia.wordpress.com/ – Deby Veneziano, que trata com muita delicadeza e esmero temas adultos com textos profundos e uma belíssima fotografia;
https://poemasempretoebranco.wordpress.com/, Poemas em Preto e Branco, do Milton Cesar, que sempre está a prestigiar minhas postagens, cujo blog traz lindas poesias sob a forma de prosas, sempre bem acompanhadas por uma excelente trilha sonora, que nos dá percepção da atmosfera que serviu de inspiração.

Muito grato bela lembrança e por sempre estarem me prestigiando e contribuindo para meu aprimoramento, agradecimentos estes que estendo a todos os demais seguidores que me acompanham.

As regras basicamente são as seguintes:
-Agradecer a pessoa que te nomeou e adicionar o link do blog 👌
-Incluir a imagem no seu post👌
-Adicionar as regras, para que os outros as possam seguir;👌
-Nomear pessoas que você ache divertidas, inspiradoras e agradáveis;☝
-Responder as mesmas perguntas👌

Além de ser um apaixonado por poesia, curto os mais diversos temas, por isto optei por indicar alguns blogs (entre tantos que acompanho frequentemente) que representam esta diversidade, que acho importante para ampliar os horizontes. Mas todos os demais sintam-se igualmente homenageados.

indicados:
https://acvomotta.wordpress.com/
https://realizarpropositosetalentos.wordpress.com/ – BY YOU
https://estevamweb.wordpress.com/ – Blog Sabedoria do Amor
https://albertocuddel.wordpress.com/ – Entre pontos e Vírgulas, Poesia!
https://metaeticasite.wordpress.com/ – Metaética
https://newstyleladymadelaine.wordpress.com/ – Lady Madelaine
https://depressaocompoesia.com/ – Cristileine Leão
https://territoridel900.wordpress.com/ – Carlo Rossi

A todos os indicados, por favor não se sintam obrigados a participar desta premiação, que nada mais é que uma divertida homenagem e brincadeira.

Agora vamos responder as algumas perguntas:

Por que começaste com o blog?
Comecei o Divagações & Pensamentos em junho/2016, pois precisava de um local para guardar meus textos que estavam se perdendo nos papéis. Fiquei muito tempo sem escrever e retomei esta atividade que virou uma rotina para mim após o blog. Nunca tinha tido a experiência de compartilhar meus textos e fiquei surpreso e maravilhado com a receptividade. Antes escrevia para as gavetas e falava com as paredes, hoje troco ideias e compartilho pensamentos com tantas pessoas que curtem o mesmo que eu.

  1. Qual o seu livro preferido?
    Não tenho um livro especificamente, seria aquele que acabei de ler e o que estou começando rsrs. Mas tenho alguns autores do coração e que me inspiraram a escrever de forma livre, são eles Saramago e Gabriel Garcia Marques. Mas atualmente estou lendo e me encantando por Guimarães Rosa.
    Sou apaixonado por poesia, mas não tenho nenhum livro predileto, nem autores ou autoras, a poesia preferida é sempre aquela que toca o meu coração e me emociona.

  2. O que menos gosta?
    Nossa, tantas coisas, mas foco sempre no que gosto. O que não gosto, passo adiante ou finjo que não vi ou ouvi.

  3. Qual é o teu passatempo preferido?
    Escrever, ler e, atualmente, fotografar (estou aprendendo ainda).