Série leituras & percepções – Tutameia (terceiras estórias) João Guimarães Rosa


“Conte-se que uma vez”…(Estória nº 3), “Saudade maior eram: a Barra, o rio, o lugar, a gente” (Barra da Vaca).
Arenoso solo o das palavras,
de encantamento,
desbravadores…
Serenam os olhos.
Hilaridade,
senso de humor. jocosidade.
“Quero o bom-bocado que não fiz,, quero gente sensível”. (Esses Lopes)
“O mundo se repete mal é porque há um imperceptível avanço” (Lá, mas campinas)
“A vida são dívidas.A vida são coisas muito compridas.” (Melim-Meloso)
“0 mundo do rio não é o mundo da ponte” (Orientação)

A sensibilidade sertaneja,
que se protege com espingarda,
o puro encanto com as feias moças, que são é belas: “Tanto vai a nada flor, que um dia se despetala” (Arroio-das-antas).
Escorre qual sangue à faca,
o desajeitoso amor,
entre pedregulhos e rochedos.
A sol à pique. Memórias: “A gente se esquece – e as coisas lembram-se da gente” (Arroio-das-antas).

Dos pisos do comum,
nascidos do Urucúia, Abaeté, Rio Verde Pequeno, Santa-Rita, Curvello …
Enveredados,
no Sertão. Sertões. Ser tão.
Humana terra: “De novo o Mucual”(Droenha).
“Até aquele dia ele tinha sido imortal; perdeu-se as cascas” (Estória nº 3)

O Sertanejo desri da felicidade dessa gente:
“Felicidade se acha é só em horinhas de descuido …” (Barra da Vaca)
“O quanto, o silêncio” (intruge-se)

Ler O Rosa, em toda sua complexidade, é ao mesmo tempo um desafio e um deleite.
“Todo fim é exato. Só ficaram as flores” ((Reminisção)
“A vida como não a temos”. (Quadrinho de estória)
“A noite, o tempo, o mundo, rodam com precisão legítima de aparelho”
(Quadrinho de estória)
“Idade é a qualidade” (Esses Lopes)
“Meu gosto agora é ser feliz, em uso, no sofrer e no regalo ” (Esses Lopes)
“Para trás, o que passei, foi arremendando e esquecendo. Ainda achei o fundo do meu coração.” (Esses Lopes)

“A cada sete batidas um coração discorda” (Estorinha)
“Ixe, coragem também carece de ter prática” (Hiato)

“0 amor é breve ou longo, como a arte e a vida” (orientação)
“A gente quer mas não consegue furtar no peso da vida” (Rebimba, o bom)
“0 mal não tem miolo” (Rebimba, o bom)

Penso que O Guimarães fica de lá do seu Sertão, rindo destes Sertanejos tentando decifrar suas prosas poéticas. E ele que só queria uma boa prosa.

(GeraldoCunha/2022)

4 Comments

  1. Lindo demais. Penso que O Guimarães fica de lá do seu Sertão, rindo destes Sertanejos tentando decifrar suas prosas poéticas. E ele que só queria uma boa prosa. ( c0m certeza!)

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s