Categorias
Agradecimento amor Arte Improviso Pensamentos Poema Poesia Série Sentimentos Tempo

Série cotidianos ESPECIAL – Drummond-se

À sombra do tempo
A moça na calçada desfila
sisuda
O atleta sobe as escadas
desce e sobe
tem pressa dos movimentos
surdo ao seu arredor
sibila
em círculos
tonteio só vendo
sorvendo o tempo
procuro
quero sentar
ao longe de mim
quietar

Um cachorro carrega
em sua guia as mãos
arrochadas
Outros livres
latem correm
urinam
no tempo da grama
O homem caminha açodado
outro e outro tantos e nenhum

Tantas coisas só acontecendo
ao mesmo tempo
Tempo do sinal
Tempo da buzina
dos sem tempo
Não vou falar mais do tempo
ando vago urgente
Muito de nós fica no vento

Sento no banco da praça, abro a bolsa, guardo o sem tempo e liberto Drummond…
…”no meio do caminho tinha uma pedra/nunca me esquecerei desse acontecimento”.

(GeraldoCunha/2021)

Categorias
Divagação Experimentações Improviso Poema Poesia surtados

Série surtados – instantâneo

Categorias
Experimentações Felicidade Pensamentos Poema Poesia Sentimentos

Pré-venda de Improváveis – livro de poemas. GeraldoCunha

a obra pode ser adquirida pelo site da Casaeditorial http://www.editorialcasa.com.br

Categorias
Experimentações Improviso Pensamentos Poema Poema Curto Poesia poesia concreta

Série poesia concreta- Luminous

Categorias
Arte Experimentações Pensamentos Poema Poesia

Série desempoeirados poemas- palavras – liberdade poética

Categorias
amor Felicidade Improviso paixão Pensamentos Poema Poesia Sentimentos

Série sentimental- criança

Categorias
cotidiano desenho ilustração Improviso Natureza Pensamentos Poesia Sentimentos

Série cotidianos- melodiosa

a chuva avançou pela janela

entreaberta o som do zinco se [banhando ecoava

melodiosa escorria pelo telhado

suave harmoniosa cadenciada

os pássaros recolhidos não me acordaram

é sábado domingo feriado não sei

eu recolhido embalado

[no tempo do agora

este som do vento frio que assusta os sentidos

convite para ficar no corpo adormecido

desejo de arrastar a cortina e flutuar na brisa

invadir o espaço que é dela

[a chuva

vestir de sua transparência

pentear seus fios que escorrem dos cabelos

sentir os gelados dos pés

pisando nas poças

ou só ficar nos ouvidos

os olhos cerrados

entoando as notas musicais

(GeraldoCunha/2021)

Categorias
cotidiano Experimentações Felicidade Improviso Pensamentos Poesia

Série desempoeirados poemas- carpe diem

Categorias
cotidiano desenho Improviso Natureza Pensamentos Poema Poesia

Série improváveis – absentismo

Categorias
desenho Experimentações ilustração Improviso Pensamentos Poema Poesia

Série de improviso – cais