Série poesia concreta- FOTOGRAFIA

6 comentários sobre “Série poesia concreta- FOTOGRAFIA

  1. Bah! Geraldo, eu me considero um fotógrafo fora do tempo e do lugar. Sabe, embora o imponderável me surpreenda, os temas das minhas fotografias sempre são planejadas. Outono: bom, onde estão os plátanos e suas folhas amarelas/vermelhas? Prédios antigos, janelas, portas….reflexos. Agora, tem um quê que vai ao encontro da tua bela poesia: tudo isso tem o seu tempo e o seu lugar. Feliz com teu poema, vou olhar melhor o cotidiano quando voltar à rua. Grande abraço carinhoso.

    Curtido por 3 pessoas

    • O que me encanta na poesia, assim como na fotografia de arte, é a possibilidade de despertar um sentimento antes escondido e que se permite extravasar. Sua mensagem é uma aula filosófica e de experiência de vida, por assim dizer. Você já tem este olhar! Veja o comentário (se já não viu) do Estevam nesta postagem, faz uma merecida referência a você! Abraço

      Curtir

  2. Li este poema como a acompanhar pelas ruas de PoA e/ou de Beagá, um fotógrafo/poeta e um poeta-fotógrafo, caminhando e os detalhes sendo registrados em poesia-fotografia e em fotografias-poesias. Eram Fernando e Geraldo e vice-versa.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s