Série poema curto – Pelas Beiradas

Nada que começo termino
Vou guardando os poucos
As frases estão incompletas
Agonia dos pensamentos
Vou comendo pelas beiradas
Uma palavra aqui
Outra acolá
Perdidas entre os textos revisados

GeraldoCunha/2021

9 Comments

  1. Sou Poeta de caneta e caderno para fazer meus rabiscos, nos meus alfarrábios mãos inscritos , tenho palavras pelas metades, frases inacabadas… Mas sei que mingau é quente, em silêncio como bom mineiro que sou, vou comendo pelas beiradas . Parabéns . Um abraço fraterno do Poeta Carvoeiro.

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s