Poema insano


As letras
Escapando
Entre
Os
Dedos.
Uma mancha no papel.
Papel carbono, quem lembra?
Ainda vendem?
As digitais estão espalhadas e ninguém percebe.
Os dedos
Presos
Entre
As teclas.
Mas eu não tenho máquina de escrever.
Foi vendida para pagar a conta de luz.
As letras
Presas
Entre
Os
Dedos.
Continuo no escuro!

(GeraldoCunha/2020)