Série Open- Torre de Babel


não falamos mais a mesma língua, Sem uma conexão na Torre de Babel. estranhos conhecidos de outrora, Perdidos em palavras dissonantes. duas solidões não conversam. lábios que se movem Para ouvidos surdos pelos próprios pensamentos. olhares que se cruzam e Não se veem. quem somos nesta relação. não sabemos mais E culpamos o tempo. sempre o tempo a desculpar E o tempo é linear. li esta frase em algum livro E compreendi. fragmentadas são as relações, Pelo desgaste que provocamos Pela ausência. que Não é distância física É abandono do sentimento. Desprezo pelo Sentir um do outro E as palavras vão se ressignificando Sem compreensão, Quando nos acomodamos. tudo é tão simples, Mas queríamos alcançar o céu E foi nossa ambição. hoje não sabemos quem somos.

(GeraldoCunha/2020)