Sem vergonha (II) 2020


Não vou ter vergonha
De ser sentimento.
Vou chorar
Quando me emocionar!
Represei por tempos
Os meus sentires.
Vou rir
Debochadamente,
Não de você!
Mas com você
E para nós!
E nem vou lembrar
De olhar para os lados.
Não quero sorrir
Só com o olhar,
Mas com as rugas!
Sem retoques
Na fotografia.
Não vou ter vergonha
De ser quem sou
Só para não ser
A vergonha do outro!
Vou falar amo
Quando amar
Verdadeiramente.
E se achar lindo
Não vou ter vergonha,
Vou dizer ainda que
Alguém fique rubro.
Não vou ter vergonha
De ser sentimento,
Já que outro não sou!

(GeraldoCunha/2020)