Poema falso


Minha tristeza é fingimento
Assim como é minha alegria
Disfarço-me de dor para suportar
Pinto o rosto para me esconder
E a lágrima é apenas um borrão
Tinta seca escorrida à mão

Trago no sorriso uma ilusão
Forjada pelos músculos
De quem não quer se mostrar
Mas que se revela no olhar
Confessando a solidão
Dissimulada pela extravagância

Sou essa falsa lembrança
Uma mentira inteira contada
Sem qualquer constrangimento
Que se torna uma e meia verdade
Roupa esquecida no camarim
Aos poucos ficando desbotada

Sujo de histórias o lenço envelhecido
Umedecido não pelas lágrimas
Mas pela farsa que construí
E o que vejo não sou mais eu
Uma palidez sem reflexo na luz
Depois de representar mais um espetáculo

(GeraldoCunha/2019)

13 comentários sobre “Poema falso

  1. A veces no nos queda otra que sonreír aunque estemos destrozados por dentro…aunque nuestra alma llore… como le sucede al payaso.
    Preciosa forma de expresarlo!! Me ha gustado mucho.
    👏👏👏👏

    Curtido por 1 pessoa

    • Nossa que pergunta difícil!!!! Minha resposta hoje seria sim podemos. E acho que é sozinhos que fazemos isto melhor até. É quando percebemos quem realmente somos e quem não queremos ser, sem a interferência do outro. Pesando mais, penso que a mudança do sentir é solitária, ainda que pareça que para isto precisamos do outro. Abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s