Já não sei… Eu só!


Já sem esperança
resolvi acreditar na vida!
Quando tudo ficou em silêncio
pude perceber que estava só.
Já não sou mais necessário,
não faço falta!
Se sou lembrado
já não sei, ninguém me diz.

Ninguém ri daquela piada engraçada que conto.
Já não conto piadas,
não tenho para quem contar.
Cruzo o tempo todo com pessoas estranhas,
Até quem eu pensava conhecer virou um estranho!
Hoje luto para sobreviver,
solitário no meio de tantas vozes.

Não sei se a vida deixou de ter sentido ou se agora é que ela começou a fazer sentido.
Não sei se é o final ou apenas mais um recomeço entre tantos outros que não levaram a nada e a lugar nenhum.

(GeraldoCunha/2016)