Não dê ouvidos


Não leia esta poesia
Que vai te fazer chorar
Cada lágrima derramada
Foi um sonho abandonado
Um amor não correspondido
A amizade que se foi esquecida

Não dê ouvidos ao que digo!

Não leia esta poesia
Que vai te fazer lembrar
O tempo que não estivemos
As escolhas que nós fizemos
As consequências que suportamos
Os fardos que todos nós carregamos

Não dê ouvidos ao que sigo!

Não leia esta poesia
Que vai te fazer pensar
Nos tantos desejos contidos
No silêncio não interrompido
Nas palavras não pronunciadas
Em cada pergunta que não foi respondida

Não dê ouvidos ao que penso!

Não leia esta poesia
Que vai te fazer se indignar
A cada verso que está sendo lido
Com tanta solidão compartilhada
Com todas as injustiças cometidas
Com as diferenças não compreendidas

Não dê ouvidos ao que sinto!

(GeraldoCunha/2019)

Anúncios