Inspiração


Uma gota de água que cai no chão,
Se é orvalho, traz saudade…
Se é chuva, vem o cheiro da terra.
Se é vazamento, conserta!

Uma pessoa que caminha pela rua,
Se está triste, é um desamor…
Se está alegre, isso é novo amor.
Se está distraída, melhor não descuidar!

Uma papel que solto sai a voar,
Se era guardanapo, vento levou…
Se era de caderno, poema que escapou.
Se era de embrulho, o pão está na mesa!

(GeraldoCunha/2019)

Anúncios

Por onde passo


Por onde passo toco em flores
A cada passo sinto o perfume
Ouvindo passos ao encontro
Inevitável passos de amor

Por onde passo exalto o amor
A cada amor uma flor
Entoando canções de amor
Incondicional amor efêmero

Por onde passo deixo marcas
A cada marca uma lição
Marcando o caminho
Apontando a direção

(GeraldoCunha/2019)

Humana poética


A poesia
é o encontro com o Eu mais humano
A Minha direção
na realidade crua que cega
O norte
para os Meus anseios mais loucos
O porto seguro
dos Meus devaneios

O Meu corpo
é poesia exalada pelos poros
O íntimo
extrapolado das Minhas feições
O humano incondicional
que Me habita
O extravasar
das Minhas entranhas

(GeraldoCunha/2019)

Alma inquieta (Poema curto)


Sou alma inquieta
Presa nestas carnes
A ponto de implodir
Sufocando os versos
Engolindo a saliva
Secando o grito
Nesta inquietude
(GeraldoCunha/2019)

Relógio


Falo tanto sobre o tempo
Que tenho receio de me repetir
O tempo não se repete
O passado não se reinventa
Fica guardado na memória
E vai se desfazendo
O presente é o milésimo de segundo
Ou menos que isto
Quer tanto o futuro
Quando se vê já é passado
O tempo é o instante
O relógio se repete
O tempo dele não

(GeraldoCunha/2019)

Folhas


Não conheço bem as estações.
Mas observando da janela,
Ontem folhas estavam verdes,
Hoje pela manhã amarelas
E foram se avermelhando,
Até se soltarem caindo no chão.
Sujam toda a calçada,
Mas eu gosto!
Parece que o outono chegou mais cedo.
Volto os olhos para a janela
E vejo folhas brotando, verdes…
Um monte delas por todos os galhos.
É sinal que a primavera chegará mais cedo este ano.
E eu gosto!
(GeraldoCunha/2019)

Meu tempo é hoje

Não me preocupo com o tempo,
Que dele se ocupem os relógios,
Seus minutos, suas horas.

Eu me ocupo é em viver
Entre o girar dos seus ponteiros.
Meu tempo é hoje!

Não me preocupo com os números,
Que dele se encarreguem os calendários,
Seus dias, seus meses, seus anos.

Eu me encarrego é de viver
Entre o nascer e o por do sol.
Minha idade é agora!

(GeraldoCunha/2019)