Voz secou

As longas conversas secaram
Feito rios esperando a chuva
Minguando esperançosos
No leito sobrou silêncio
Na margem solidão
Garganta secou
Boca cerrou
Desertou
Arenou
Calou
E só
.
(GeraldoCunha/2018)