Transparência 


Falo através dos meus poemas!
É onde me expresso sem paredes.
Quando surgem tento derrubá-las,
Escapando por janelas imaginárias,
Quando o lado mais sombrio empareda.
É onde recebo de portas abertas,
Enfrentando o solitário vazio d’alma,
Quando o coração ferido ainda cicatriza.

Sou a transparência dos meus poemas!
É aonde caminho com segurança.
Quando o pensamento é turvo.
Abrindo gavetas há muito emperradas,
Quando escapam as palavras silenciadas.
É aonde me convenço da realidade angustiante,
Aprisionando os monstros que amordaçam,
Quando só o grito por liberdade não basta.

(GeraldoCunha/2018)

Anúncios