Poema do abrandamento


(Gostou? veja também Nessa de não ter tempo)//…
Te transformei em poesia
Para abrandar a saudade
Por não ter para onde voltar
Para tornar a acreditar
Quebrei lápis para suportar

Te transformei em poesia
Para sentir em meu tato
Por não ter a quem tocar
Para poder de novo afagar
Rasguei folhas para aliviar

Te transformei em poesia
Para não esquecer o cheiro
Por não ter como respirar
Para me sentir no inexplicável
Apaguei palavras para recomeçar

Te transformei em poesia
Para desviar da tristeza
Por não ter modo com a dor
Para voltar um dia a sorrir
Molhei as páginas para o tempo secar

(GeraldoCunha/2018)

2 comentários sobre “Poema do abrandamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s