Minhas duas vidas


(Gostou? veja também Há tempo)…
– Tenho duas vidas:
Extremos paralelos,
Com ponte rompida,
Barco à deriva,
Nevoeiro que cega,
Âncora lançada ao mar.

  • Uma que chamo tédio:
    Em que as palavras são cruas,
    Os gestos são mecânicos,
    Os sentimentos são vitimização,
    Os desejos são fraquezas,
    As pessoas são apenas corpos.
  • Outra que chamo poesia:
    Em que os sentimentos estão nas palavras,
    Os gestos se convertem em emoções,
    Os desejos tomam formas de paixões,
    As fraquezas se transformam em esperanças,
    As pessoas se traduzem em amores e desamores.

(GeraldoCunha/2018)