Categorias
Poesia

A conquista


(Gostou? veja também Sobre não mais)…
Poderia ser o fim de tudo,
Sem nada ter acontecido,
Era tudo o que parecia,
Naquele breve instante,
Mas assim não o foi!

Troca de uns olhares,
Como juras secretas,
Que disso não passaram,
E o fim parecia inevitável,
Havia espaço para desistir!

Mas consternar não era opção,
A indiferença que transparecia,
Era acanhamento excessivo,
Naquela interação pessoal,
E isto não poderia nos separar!

Teria é que ser começo,
Não há olhares vãos,
Não há timidez intransponível,
Quando se tem o amor por convicção,
E a persistência na hora da conquista.
(GeraldoCunha/2018)

Por Divagações.GeraldoCunha

Escrevo. A escrita me liberta. Sei que serei lido, por alguns ou por muitos, ainda que não seja compreendido por todos, mas isso não é o mais importante. Ao escrever deposito nas letras minhas alegrias, tristezas e me liberto dos sentimentos que povoam minha mente, dando espaço para outros ocuparem esse lugar. Assim vou vivendo. Às vezes escravo de meus pensamentos, às vezes liberto.

5 respostas em “A conquista”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s