Efêmero


(Gostou? veja também Poema do único amor)…
As curtições!
Bastou um toque e já não se lembra,
Nada absorveu, foi em busca de outros.
Não curtiu!
Viu letras.
Viu-se.
Vil.

As relações!
Mal chegou e já se foi sem despedida,
Não disse a que veio, só quis marcar presença.
Não marcou!
Esqueceu-se.
Foi sopro.
Foi-se.
Foice.

Os desejos!
Foi a conta de um gozo e já fumava um cigarro,
Sem nomes, vestiu-se e partiu.
Não amou!
Reagiu ao instinto.
Agiu-se.
Ágil

(GeraldoCunha/2018)

9 comentários sobre “Efêmero

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s