Poema da serenidade 


(Gostou? veja também Meditação texto2016)…
Hoje você não ouvirá a voz gritar.
Não, não ouvirá!
Ficará em silêncio,
Esperando a voz calar.
Imaginando planícies,
Cachoeiras a derramar,
Até o eco se findar.

Hoje você não sentirá o coração fibrilar.
Não, não sentirá!
Terá o tempo de se acalmar.
Inspirando e expirando sem pensar,
Sempre em compasso,
Sereno a meditar,
Até a mente limpar.

Sim, assim será!
Hoje você ouvirá o coração,
A batucar compassado…
Manso.
Hoje você sentirá a voz.
A levitar as palavras…
Zen.
(GeraldoCunha/2018)