Cadê meu analista? – reeditado


(Gostou? veja também: Não entendo!…)
Quero falar,
Não quero ser confrontado.
Quero ser ouvido,
Não quero ser subestimado.
Quero ser compreendido,
Não quero ser julgado.
Quero ser instigado,
Não quero ser convencido.
Quero ser motivado,
Não quero ser empurrado.
Quero ser acalmado,
Não quero ser dopado.
Quero ser acalentado,
Não quero ser protegido.
Quero ser percebido,
Não quero ser suportado.
Quero o tempo que necessito,
Não quero hora marcada.
(GeraldoCunha/março2017)

Anúncios

6 comentários sobre “Cadê meu analista? – reeditado

  1. O que muitas vezes queremos é somente isso como disse seu poema…ser ouvido… compreendido…instigado…motivado…acalmado…acalentado…percebido! Basicamente são essas necessidades que todos temos mas poucos tem consciência disso. Alguns também não tem a sensibilidade para ceder os “ouvidos” e dar essa atenção quando o outro necessita.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s