Saudade é não poder voltar


(Gostou? veja também de 2014: impuro e virtuoso)
É sombra que não se alcança.
Fumaça que se dissipa com o vento.
É vento que sopra o arrepio na nuca.
Calafrio em quarto escuro.
É desejo que não pode ser atendido.
Realidade escapando entre os dedos.
Uma cama vazia.

É sentir a presença na ausência.
Reflexo abandonando o espelho.
É roupa suja que foi largada.
Passos que vão sendo apagados.
É silêncio que se ouve mais que grito.
Murmúrios que se vão abafando.
Uma porta trancada.

É angústia pelo que não foi dito.
Arrependimento que não permite o perdão.
É uma toalha sobre a cama molhada.
Espelho ainda embaçado.
É solidão depois de uma madrugada.
Liberdade de quem não se quer liberto.
Um chaveiro deixado.

É explosão contida de sentimento.
Garrafa pela metade.
É fogueira que queima sem chama.
Lareira com fogo apagado.
É olhar que se fixa no teto.
Pergunta sem resposta sem nada.
Um copo estilhaçado.

É mensagem não respondida.
Poema não compartilhado.
É palavra nunca lida.
Papel embolado jogado.
É não sentir o chão com os pés.
Rosas esparramadas na escada.
Um vaso quebrado.

(GeraldoCunha/2018)