Perdas emocionais

Anos de grandes perdas emocionais.
Sem tempo de recuperação.
Sem tempo de respiração.
Sem tempo de reparação.

Tantos partiram e com eles suas melodias, suas poesias.
Tantos se foram e com eles seus afetos, seus afagos, seus abraços.
Tantos deixaram um rastro de saudade, um vazio na alma.

Emoção na doce lembrança.
Choro incontido.
Lágrima que escapa.

Saudade que não tem mais como.
De tanto se agarrar nas lembranças,
De tanto se firmar nas imagens,
De tanto se prender nas sonoridades,
De tanto se aconchegar nos cheiros.
(GeraldoCunha/2017)