Palavras – Liberdade poética

Não tenho mais as palavras.
Me foram, roubadas.
Me foram, poupadas.
Não me foram devolvidas.

Não temos mais as palavras.
Se foram, usadas.
Se foram, apagadas.
Não se foram recuperadas.

Não tendes mais as palavras.
Lhes foram, caçadas.
Lhes foram, negadas.
Não lhes foram pronunciadas.

Não temos mais me.
Não temeremos mais se.
Não tememos mais lhes.
Temos mais liberdade poética.

(GeraldoCunha/2017)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s