Gavetas

Esquecido em uma gaveta, não quero mais ser usado.
Empurrado bem lá para o fundo, não sou mais visto.

Naquele canto, nem mais lembrava que existia.
Entre tantos não sou mais escolhido.

Fiquei velho, em desuso, fora de moda.
O que antes era motivo de orgulho, agora causa vergonha.

Só me resta permanecer quietinho no canto que me foi reservado,
Esperando ser novamente lembrado e desengavetado,
Usado ou passado adiante.

(GeraldoCunha/2016)

Crônica de um sujeito sem rumo

Fazia planos todas as noites, esperando começar a realizá-los logo que o dia amanhecesse. Mas o sono não vinha, se vinha era por pouco tempo, sobrava tempo para mais reflexões e mais planos eram idealizados, diante da percepção de que muito ainda podia ser feito para alterar por completo aquela vida que estava ali, por tanto anos, parada, no mesmo lugar, sabotando qualquer tentativa de fazer diferente.Amanheceu, agora sonolento pela noite mal dormida, já não se lembra de todos os planos traçados, os poucos que se recorda pensa que podem ficar para outro dia, o sono tardio convida a ficar na cama.

Desperto, já tarde do dia, percebe que nada mudou, acordou, tomou café, ouviu a música de sempre, comeu a refeição e deitou novamente, depois de tentativas de sair daquela rotina. Já não importavam os planos traçados na noite anterior. Dentre os poucos de que ainda se recorda, para cada um, uma desculpa para começar a colocá-los em prática mais tarde.

Com a tarde indo embora e a noite querendo se mostrar, percebe-se sem rumo, nada fez, permitiu que a vida continuasse exatamente como está. Fez um lanche, comeu uma fruta e tomou um gole de café. Em frente à televisão hipnotizado e sem esperança, fazendo-se acreditar que os planos não eram para hoje e que poderiam ser colocados em prática amanhã, quando aquelas desculpas já não fizessem mais sentido e outras não pudessem ser inventadas, espera por nada, até a hora de tomar um copo de leite e deitar novamente.

A noite chegou, deitado, é hora de refazer os planos, pensar nos motivos e desculpas que impediram fossem realizados e ter esperança de que estes novos planos lhe darão um rumo diferente, mas o sono não vem.

(GeraldoCunha/2016)

Divagação 41

Queria falar do tempo.
Faltam-me as palavras.


(GeraldoCunha/2016)

O que fazer!


O que fazer quando perdeu ou abandonou todos que amava?
Não tem o que se fazer, a não ser seguir em frente.
O que fazer quando sabe que está estagnado?
Não tem o que fazer, a não ser acreditar que é só uma fase.
O que fazer quando não mais acredita em você ou no outro?
Não tem o que fazer, a não ser ter esperança.
O que fazer quando não vê ou não quer ser visto?
Não tem o que fazer, a não ser encobrir todos os espelhos.

Tem o que fazer quando não se consegue ir em frente?
Continuar tentando.
Tem o que fazer quando essa fase não passa?
Tirar o melhor proveito dela.
Tem o que fazer quando não se tem esperança?
Não há essa possibilidade, sempre haverá esperança.
Tem o que fazer quando não se consegue desencobrir os espelhos?
Olhar para sua imagem interior.
(GeraldoCunha/2016)

Criança

Traça

Tentar

Já não estávamos mais

Desabafo

Um jeito de apagar da minha memórias as imagens tristes que tenho daquele dia. Fui vítima, juntamente com outras pessoas, de um assalto em um restaurante, em plena sexta-feira duas horas da tarde. Ficamos reféns de três bandidos, que embora não nos tenham agredido fisicamente, o fizeram psicologicamente. Foram minutos de horror e impotência. Nunca tinha passado por situação semelhante e, embora no momento tenha ficado bastante calmo, a ponto de não ter sido sequer percebido pelos bandidos, quando tudo acabou e pude voltar para minha casa, fiquei em pânico. Desde então, luto para tirar aquela cena da minha mente. No começo foi muito difícil, no outro dia apenas tinha relances do ocorrido, mas uma angústia tomou conta de mim. Ao simples imaginar sair de casa, sinto calafrios. A sensação é de uma profunda ressaca moral. Sei que é questão de tempo, para tudo se normalizar. E vai se normalizar, pois não me deixarei entregar por estes sentimentos negativos. Tudo isto é um reflexo da sociedade que vivemos e a violência está em todos os lugares. O que passei, outras pessoas já passaram e, talvez neste momento, algumas estejam passando. Hoje tento estar bem e esquecer, para seguir em frente, pois a cada rasteira me levanto mais fortalecido.
(GeraldoCunha/2016)

A solidão das palavras

Lágrima

Amar o Belo

Quero alguém que tenha beleza, na concepção do que para mim é belo, não o que os outros dizem ou pensam que é.
Não quero ninguém tão ignorante, tampouco super inteligente.
Quero querer estar sempre junto, sem me preocupar com quem está por perto.
Quero alguém que goste um pouco do que eu gosto, que não seja competitivo e tampouco egoista.
Quero alguém para quem eu possa mostrar o que gosto e que, mesmo não gostando, respeite o meu gostar, o meu sentir.
Quero alguém que se emocione com aquela música, que chore junto naquela específica cena do filme, mesmo quando o filme for uma comédia.
Quero alguém com quem tenha sintonia e que seja capaz de, em alguns momentos, completar minhas frases e ler meus pensamento.
Quero alguém que me mostre o seu mundo e me dê a escolha de gostar ou não, pois compreender eu irei.
Não quero ninguém que tente me impor suas ideias e opiniões, sem ao menos me dar a chance de mostrar meu pensamento.
Quero alguém que me faça dar gargalhadas, por pior que seja a piada e que faça o mesmo, espontaneamente, quando eu, acanhadamente, tentar ser engraçado.
Quero alguém que me respeite, da mesma forma que será respeitado. Quero me encantar, ser hipnotizado com seu olhar, seu sorriso é, sobretudo, com nossas longas conversas.
Quero alguém que sinta tanto desejo, quanto eu irei sentir em estar junto, a ponto não querer partir, mesmo sabendo que isto algum dia será inevitável.
Quero alguém com esta beleza.
(GeraldoCunha/2016)

Lá pelas tantas…

(Gostou? veja também: Poema duplo em oração )…
Lá pelas tantas não sabia se queria voltar.
Fui longe demais.
Vi, ouvi e falei pelo caminho.
Não era mais o mesmo desde que tudo começou, nunca se é.
Fui triste, alegre, indiferente e foi como deixei de ser para ser outro eu.
No trajeto sempre surgia a dúvida entre seguir e voltar.
A opção foi sempre seguir, mesmo quando tudo indicava que o melhor era voltar.
Recuei algumas vezes, mas nunca ao ponto da partida.
Recuar parece voltar, mas não é.
Voltar é desistir daquele caminho e não seguir outro.
É ficar.
Recuar é parar, tomar fôlego, avaliar estratégias e escolher entre ir para aquele mesmo lado ou seguir outro, sempre em linha reta.
Encontrei atropelos, resistências físicas e psicológicas minhas e de outros que faziam parte do trajeto.
Sentei um pouco, sem recuar, analisei, assimilei e me curei, para seguir.
Não foram poucas as vezes que estava só, noutras queria estar só.
Quantos também foram os momentos em que, acompanhado, sorri e chorei, ofereci o ombro e fui acalantado.
O caminho desde a partida tem sido longo.
Talvez tenha percorrido a metade do que me foi destinado ou um pouco mais, vai saber.
Isto, se um dia foi importante, não mais é.
(GeraldoCunha/2016)

Livros

Sou adepto dos livros e textos digitais, mas não dispenso a velha e desgastada folha de papel, com cheiro e cor próprios.
(GeraldoCunha/2016)

Noite

(Gostou? veja também: Verso e reverso)…

Tanto se falou da noite,
Noite que é aconchego,
Noite que é rebeldia,
Noite que se esconde,
Noite que se mostra.

Tanto se conspirou contra noite,
Noite que promete o encontro,
Noite que se contenta com solidão,
Noite que produz sons estranhos,
Noite que se faz de silêncio.

(GeraldoCunha/2016)

Imagem distorcida

Tantas coisas acontecem na vida das pessoas que não conseguimos enxergar através da imagem que temos delas. Não se afastem, dêem uma chance. Amizades não são construídas em apenas um dia, apenas as paixões e estas são tão passageiras. Pode existir tanta beleza por traz daquela imagem, mais do que é revelado.(Gcc/2016)

Divagação 40

Hoje preciso de um sorriso emprestado para disfarçar minha tristeza.


(GeraldoCunha/2016)

Divagação 39

Uma saudade imensa hoje, tão grande que não quero dividir, quero tê-la comigo e só.


(GeraldoCunha/2016)

Laços

Não me arrependo dos laços que se desataram, não eram tão firmes quanto pensava. Arrependerei se nesta jornada não conseguir criar outros laços mais fortes que aqueles que imaginava ter. (Gcc/2016)

Triste

Não fique triste com minha tristeza, encontre um modo de me alegrar.
Ninguém precisa sofrer a dor do outro, basta apenas oferecer um ombro.
Não é preciso falar no momento da dor, basta estar ali, quietinho, emprestando um colo amigo.
(GeraldoCunha/2016)