Tempo: T01:E01 – amizade e transformação


A mim me interessa a amizade.
O tempo se encarregará da direção.
Não quero nada que não se inicie de outra forma.
O meio vai traçando o percurso.
O final é consequência.
Qualquer outro plano que seja diferente pode estar fadado ao fracasso.
Confiar no tempo é a melhor forma para a conquista.
Explorar cada possibilidade sem ir direto ao ponto e sem ansiedade pode ser o caminho ideal para o objetivo.
A amizade permite, sem paixões, conhecer o outro, construindo relações sólidas.
Desistir no curso é uma possibilidade – é um risco a correr.
Pegar atalhos faz parte do processo – é a aceleração do tempo.
Sentar só à beira da estrada pode ser uma necessidade – sempre é possível alcançar o outro quando se quer muito.
Toda relação que não respeite o tempo e seja fruto de uma tentativa de alimentar a ansiedade não me interessa.
Ser afoito leva a más escolhas e cega a percepção de quem realmente merece ser visto é conhecido.
(GeraldoCunha/2016)

Meditação – uma visão particular

Meditar é o melhor que se pode fazer para nutrir a alma, não importa de que forma é o processo envolvido ou o lugar e hora escolhidos, o importante é conseguir uma conexão consigo mesmo, afastar todo o pensamento que é turbulência e viajar no nada existencial. É exercício que exige focar no lugar mais vazio da mente permitindo que a luz possa entrar e com ela reorganizar as ideias. Não sei se está é a visão mais correta ou se existe outra mais adequada para descrever esta prática tão individual, mesmo quando realizada em grupo. Não quis buscar definições prontas, mesmo existindo tantas. Este é o meu entendimento hoje sobre a meditação que aos poucos vai ocupando um espaço em minha vida que antes era reservado para as lamentações e ócio improdutivo.
(GeraldoCunha/2016)