Categorias
Poesia

Páginas em branco

Olhando fixo para o papel ainda branco, apenas com alguns riscos sugerindo algo a ser contado.
O vazio daquelas páginas, retratando uma alma escravizada por pensamentos que não querem se mostrar.
Folhas e folhas descartadas em um canto, arremessadas pela implacável dúvida de como começar.
A cada tentativa uma nova palavra surge, dando sentido à anterior, mas pedindo um complemento que não vem.
(GeraldoCunha/2016)

Por Divagações.GeraldoCunha

Escrevo. A escrita me liberta. Sei que serei lido, por alguns ou por muitos, ainda que não seja compreendido por todos, mas isso não é o mais importante. Ao escrever deposito nas letras minhas alegrias, tristezas e me liberto dos sentimentos que povoam minha mente, dando espaço para outros ocuparem esse lugar. Assim vou vivendo. Às vezes escravo de meus pensamentos, às vezes liberto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s